quinta-feira, outubro 06, 2011

Parabéns, Sr. Carlos!



Parawells, sim! Para além de conseguir esta façanha de que mais ninguém, creio eu, se poderá gabar, consegue ainda que o seu sê-lo tenha maior valor do que o de Amália!... E esta, hem?!

É caso p'ra dizer que Mais vale selo...

Enfim, temos, no país que merecemos, as pessoas que igualmente merecemos...

Como diria o outro, -Palavras para quê? É um "artista" português!...

7 comentários:

Anónimo disse...

Hoje já ninguém escreve cartas. Alguns ainda enviarão postais.
O valor do selo faz com que possivelmente o de Amália circule mais no mercado interno e o do Carlos do Carmo internacionalmente, o que é justificado por ser o padrinho da acndidatura do Fado à UNESCO.
Extraordinário é uma selo de uma pessoa viva, que é uma excepcionalidade até para os estadistas.
J. Regaleira

Anónimo disse...

De facto dois selos apenas é pouco para a grande galeria de notáveis fadistas. A serem dois selos por que não Amália e Marceneiro?
Definitivamente Carlos do carmo faz história!
Frederico Santos

Anónimo disse...

O que gostava de perceber bem é a voluta da guitarra, fiquei na dúvida se é a da Coimbra ou a de Lisboa. Quanto ao resto, são dois grandes nomes da nossa música.
Eduardo Pires

Manuel Peralta Godinho e Cunha disse...

O.P

A sua paixão pelo Fado é notável.

Excelente mais esta divulgação.

Anónimo disse...

Já toda a comunidade fadista sabe que o Carlos do Carmo é um baboso e um vaidosão, por isso se promove a ele mesmo... O selo com a sua figura não vale o cuspo que leva para o colar !

marceneiro disse...

€ 0.32 e 370.000 unidades, é o valor facial e a quantidade editada do sêlo de Alfredo Marceneiro.
Como se pode verificar é o selo de €0,32 é o mais vendido, pois é o que tem o valor para o envio de uma simples carta.
Moro no Cadaval e alguns dias depois do lançamento, fui aos correios para enviar uma carta pedindo o sêlo de Marceneiro, e pasme-se, estava esgotado, a funcionária, que me conhece, informou-me que após a venda de de algumas unidades houve uma pessoa que levou os restantes cerca de 40.
Quando fui contactado para autorizar a utilização da foto de meu avô, não soube logo quem eram os outros contemplado, o que só aconteceu passados dias, e na sequência dos tramites, falando ao telefone com a responsável, fiz a pergunta sacramental... porquê e por quem as escolhas... fiz alguns reparos e mais uma vez percebi que sou mesmo "polémico" e portanto «persona non grata»
Vítor Marceneiro

Ti Maria Benta disse...

Coisa estranha...